O que são flexfields do Oracle EBS

Flexfields - Capa

O que são flexfields? Essa é uma pergunta frequente de quem está entrando no universo Oracle EBS.

Indo direto ao ponto, como o próprio nome já diz: flex + fields, ou seja, colunas flexíveis.

Com flexfields podemos armazenar informações específicas de cada empresa sem a necessidade programação.

Imagine uma tela de cadastro de itens…

Ela precisa permitir a inclusão das informações de cada item de uma empresa, mas o problema é que cada empresa atua em segmentos diferentes e seus itens têm muitas variações e características específicas.

Colocar todas essas informações numa tela padrão para todos os clientes, seria inviável.

É aí que os flexfields entram, eles permitem que sejam criados “espaços” (chamados de segmentos) nessas telas para informações adicionais e que são específicas de cada empresa, sem a necessidade de alterar o código-fonte.

O próprio usuário pode fazer essa configuração.

Desta maneira, essa tela de cadastro de itens possui nativamente apenas colunas que são “comuns” em todos os segmentos, exemplo: Código do item, descrição, unidade de medida, etc.

E esse foi apenas um exemplo dos possíveis usos.

Definitivamente são uma mão na roda.

Quer saber mais sobre flexfields? Então acompanhe esse artigo para saber mais sobre:

  • Descriptive Flexfields
  • Key Flexfields

Tipos de Flexfields

Dentro do Oracle E-Business Suite existem dois tipos: Descriptive e Key.

flexfields

Descriptive Flexfields (Descritivos)

Começando pelo descritivo, ele serve basicamente para armazenar informações adicionais a uma entidade.

Resgatando o exemplo do cadastro de itens, imagine que os produtos de uma empresa tenham, além do código, uma segunda identificação.

Se essa coluna não existir nativamente na tela de cadastro, podemos facilmente criar um segmento de flexfield para armazenar essa informação.

Essa informação será gravada na mesma tabela, no mesmo registro.

As tabelas compatíveis possuem colunas nomeadas “ATTRIBUTE” para armazenar essas informações extras.

Algumas tabelas possuem disponíveis do ATTRIBUTE1 ao ATTRIBUTE15, outras até o ATTRIBUTE20, pode variar.

E além dessas colunas, temos também uma para identificar o contexto em que serão utilizados esses flexfields.

As telas compatíveis possuem dois colchetes [], que quando clicados abrem uma janela com os segmentos que foram mapeados:

flexfields

Para saber mais sobre esse tipo, acesse: O que são Descriptive Flexfields do Oracle EBS

Key Flexfields (Chave)

Agora falando um pouco dos key flexfieds (chave), eles são mais utilizados para própria configuração do EBS, exemplo: Accounting Flexfield.

Esse tipo de flexfield tem muita flexibilidade e permite que as empresas criem estruturas que se adaptem as suas regras de negócio.

Diferente dos flexfields descritivos que possuem segmentos independentes, os key flexfields são formados por uma combinação de segmentos.

Essa combinação é com base numa estrutura previamente definida e cada estrutura dessas, assim como cada combinação, tem um identificador único.

Assim as combinações e estruturas podem ser referenciadas por vários outros módulos, relacionando apenas o ID.

Os campos mapeados nas tabelas para armazenar essas informações são nomeados “SegmentN” (Segment1, segment2, etc).

A combinação aparece de maneira completa nas telas do EBS e, ao clicar, os segmentos aparecem separados:

key flexfields

Conclusão

Esse foi um breve resumo sobre flexfields, que são peças fundamentais para o E-Business Suite.

Toda essa flexibilidade fornecida facilita muito a adaptação das empresas ao EBS.

Tem muita coisa pra falar, tanto é que o treinamento Oracle EBS Essentials tem um módulo inteiro com várias videoaulas apenas para tratar esse tema.

Se você gostou desse artigo e acha que ele pode ser útil para outras pessoas, não esqueça de compartilhar com seus contatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *